Arte sacra: Museu em Angra dos Reis reabre em tempo de pandemia

Diante da pandemia a reabertura do Museu de Arte Sacra, em Angra dos Reis foi um desafio. Com um acervo formado por obras do século XVI o museu que funciona nas dependências da Igreja de Nossa Senhora da Lapa e Boa Morte inicia as atividades com a exposição Santas Mulheres, e poderá ser visitada até dia 8 de agosto.

Ricardo Gomes – Jornalista

“A criação deste espaço fruto de um grande esforço envolvendo a comunidade, a Igreja e a Prefeitura foi e é ainda uma conquista de grande importância para a história da cidade de Angra. Falar de Patrimônio Histórico brasileiro sem percorrer as igrejas centenárias do Brasil e a arte sacra é impossível. O Museu de Arte Sacra de Angra dos Reis é um espaço que guarda o rico acervo sacro de igrejas, capelas e irmandades de nossa cidade, o Museu conserva, divulga e busca através de suas exposições trazer para o público informações relevantes sobre a arte, a história, mas principalmente o Museu trata de pessoas e da importância de cada um que viveu e vive em nossa Angra dos Reis. – Luciana Praça – Diretora de Patrimônio Histórico e Cultural da Secretaria Executiva de Cultura e Patrimônio de Angra dos Reis.

O Museu de Arte Sacra de Angra dos Reis (RJ) reabriu na semana passada após ficar fechado por um ano diante da pandemia. A programação comemorativa dos 29 anos da instituição inicia com a Exposição Santas Mulheres com imagens de santas que deixaram um legado de fé no Cristianismo. Obras artísticas dos séculos XVII até o século XX. Um acervo tombado pelo tombado Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN.

A reabertura do Museu foi um desafio. O Secretário Executivo de Cultura e Patrimônio, Andrei Lara, destaca a importância da reabertura no processo gradativo de retorno as atividades culturais, com todos os protocolos sanitários de distanciamento social.

“Estamos conseguindo retornar aos poucos com as atividades culturais, que ao longo do processo pandêmico têm sido um importante instrumento na manutenção da esperança, além de levar alegria, diversão, entretenimento e informação para população. Segundo, para comemorar, no dia 22 deste mês, o 29º aniversário do Museu de Arte Sacra, instituição que tem proporcionado aos seus visitantes conhecer melhor a história de nossa cidade”, disse Andrei.


Arte sacra: Museu em Angra dos Reis

Uma história de fé e de cultura

“O acervo reúne cerca de dois mil itens distribuídos em coleções de imagens, pratarias e indumentárias entre os séculos XVII e XX. Tudo preservado e catalogado. O Museu realiza anualmente exposições temáticas, funciona nas dependências da Igreja Nossa Senhora da Lapa e Boa Morte (RJ Largo da Lapa, Rua Dr. Bastos, s/nº – Centro Angra dos Reis – Telefone: (24) 3369-7693 e está aberto à visitação de terça à sexta das 9h às 17h e aos sábados e domingos das (9h às 13h.”

O Museu de Arte Sacra de Angra dos Reis foi criado em 1992 e mantém o espaço de exposição permanente e preserva as tradições religiosas, nas festas de Nossa Senhora da Lapa e Boa Morte, o museu é usado pela comunidade católica no mês de agosto, com missas, procissões e outras celebrações que comemoram o dogma da Assunção, como prevê o acordo firmado entre a Prefeitura e a Diocese de Itaguaí que cedeu a igreja para abrigar o importante acervo sob a guarda do museu.

O acervo vem das Irmandades Santíssimo Sacramento, de Nossa Senhora do Rosário, de São Miguel e Almas e de Nossa Senhora da Conceição, já extintas e das igrejas localizadas na Ilha Grande, Mambucaba, Ariró, Bracuí, Ribeira e Jacuecanga, assim como do culto doméstico muito particular que fez surgir algumas imagens de cunho popular tradicional na região.

A Igreja de Nossa Senhora da Lapa e Boa Morte foi construída, em 1752, numa promessa de Baltazar Mendes de Araújo, sendo adaptada para abrigar o Museu de Arte Sacra de Angra dos Reis, inaugurado em 1992. Tombada em 1954 pelo antigo Serviço de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – SPHAN, com inscrição no Livro de Belas Artes, é constituída por nave e capela-mor ladeadas, à direita, por sacristia coberta pelo prolongamento da água do telhado e, à esquerda, por uma sineira com acesso por escada coberta, paralela à lateral da igreja. Na frontaria principal, sobre a cimalha, o frontão vazado. Um dos destaques na igreja está na pintura original do altar-mor.

“A história da devoção a Nossa Senhora da Lapa e Nossa Senhora da Boa Morte remonta à primitiva capela erguida, em 1752, por Baltazar Mendes de Araújo em homenagem a Nossa Senhora da Lapa. Já a devoção a Nossa Senhora da Boa Morte só teve início no século XIX, quando a irmandade, originária do Convento do Carmo até o século anterior, passou a prestar sua devoção no local. Embora o dia de comemoração a Nossa Senhora da Boa Morte seja em 15 de agosto, em Angra os festejos as duas santas ocorrem tradicionalmente no dia de Nossa Senhora da Lapa, 14 de agosto”, informou Claudio Prado de Mello.

“Somos muito agradecidos por termos esse patrimônio vivo em nossa cidade. Neste momento, após um ano fechado, estamos reabrindo o museu restaurado e com a exposição das Santas Mulheres. A exposição conta com esculturas que datam do Século XVII até o século XX, além de peças em tecido e papel”, Andrei Lara – Secretário de Cultura e Patrimônio de Angra dos Reis.

Fotos: Larissa Torres

Arte sacra: Museu em Angra dos Reis

Artigo Original

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
0
Sua opinião é importante para nós! ❤x
()
x